Webmail

Blog da Arco Informática

03 de Setembro de 2019 - 12h16

Entenda sobre os fatores que afetam o capital de giro em um negócio

O capital de giro é o centro de decisões de uma empresa

Reprodução.
Reprodução.
O capital de giro é o centro de decisões de uma empresa. Trata-se de uma ferramenta tratada como recurso de rápida renovação (dinheiro, créditos, estoques, etc), que auxilia em casos como falta de dinheiro no caixa, problema na queda das vendas ou em casos da dificuldade na busca por investimentos.

Muitos empresários encontram inúmeras dificuldades com esse assunto. A necessidade de capital de giro varia de negócio para negócio e é fundamental que o gestor saiba exatamente do quanto será necessário para dar ao negócio a quantidade de “oxigênio” ideal para manter todas as áreas do negócio fluidas.

A minha primeira orientação, básica, é a de que o gestor tenha especificado quais são os custos para manter a operação do negócio. Devem ser considerados pontos, como:

Quantidade de recursos ideal para o pagamento dos salários de funcionários ou contratação de serviços terceirizados;
Qual a necessidade de matéria-prima e quais os custos de manutenção para manter a infraestrutura do negócio;
Devem ser considerados os pagamentos de empréstimos e encargos sociais;
Do quanto será necessário no que se refere aos investimentos em marketing e prospecção de clientes;
Recursos destinados ao treinamento e qualificação de colaboradores.
O que afeta o capital de giro em um negócio?

Um problema recorrente em muitos negócios é a falta de capital de giro que leva o gestor a ter de recorrer a empréstimos para manter o negócio funcionando, o que vai acumulando problemas que podem levar, inclusive, ao fechamento do negócio.

Outros fatores que afetam o capital de giro nas empresas, segundo o consultor empresarial, Marcelo Viana, da T4 Consultoria:

Problemas nos recebimentos

Muitos empresários enfrentam problemas de capital de giro devido à dificuldade de administrar o que entra na empresa. O não recebimento de valores e prazos de pagamento estendidos impactam negativamente o negócio.

Atrasos nos pagamentos

Em contrapartida ao problema de não recebimento ou atraso de pagamentos, está o problema da empresa ao arcar com os próprios pagamentos. Os atrasos geram multas e juros altos, sem mencionar os casos em que processos judiciais são abertos para a cobrança de valores.

Estoque parado

É fundamental que se pense na “gestão de estoque” como um dos processos administrativos mais importantes em um negócio. O estoque representa o patrimônio líquido em uma empresa, logo, quando está parado representa dinheiro parado no negócio.

Esse é um assunto que merece atenção, porque reúne alguns aspectos específicos, como, por exemplo, ocorre com o caso dos estoques perecíveis ou, em casos de produtos tecnológicos, em que se costuma ocorrer obsolescência, tornando equipamentos eletrônicos ultrapassados tecnologicamente.

O controle de estoque é fundamental e, claro, o acompanhamento de vendas deve ser realizado minuciosamente, é preciso identificar quais produtos têm saído menos e verificar como podem ser criadas estratégias para promover a venda desses produtos. Vale ressaltar que não basta diminuir o preço, é preciso analisar a situação de maneira ampla, ou o negócio terá mais prejuízos.

Contratação desorganizada

É fundamental que se tenha delimitado os recursos que serão utilizados para o pagamento de funcionários, assim como é importante contratar e manter os colaboradores que realmente são imprescindíveis para o negócio.

Alguns problemas em comum entre gestores

Tem sido cada vez mais comum atender gestores com as mesmas “dores” em relação à administração do negócio. Mesmo com planejamento e cuidado financeiro, alguns negócios ainda encontram dificuldades para ter um bom capital de giro.

Todos os processos financeiros do negócio devem ser documentados, a renegociação em caso de dívidas geralmente é indicada em longo prazo também, para isso, é essencial a boa administração do fluxo de caixa que permite ao gestor o pleno conhecimento sobre o tempo entre o pagamento a fornecedores e o recebimento das vendas.

As vendas a prazo também podem comprometer as empresas, que ficam sem o recurso necessário que garante o pagamento dos custos e despesas operacionais mensais, até que os pagamentos sejam realizados.

O que envolve a boa gestão do Capital de Giro
Redução do ciclo financeiro;
Negociação de prazos com fornecedores;
Controle de estoque;
Redução de custos e despesas;
Redução do índice de inadimplência;
Renegociação de valores e prazos de dívidas;
Não utilizar o capital de giro para investimentos em máquinas, equipamentos, mobiliário ou ampliações.

Fonte: e-commerce news.
COMENTÁRIOS
* Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento da Arco Informática.